domingo, 7 de maio de 2017

PONTA DO MEL RN

Resultado de imagem para ponta do mel rn
Ponta do Mel é um vilarejo e uma praia localizado no município brasileiro de Areia Branca no estado do Rio Grande do Norte. É o único lugar do sertão em que este encontra-se com o mar.[2][3][4]
O jornal Folha de S. Paulo definiu o lugar como um "vilarejo perdido no tempo, rodeado por falésias coloridas, dunas claras e rosadas, voltadas para o mar potiguar. Sem falar na sua gente simpática e receptiva, cheia de histórias para contar".[2]


ORIGEM DO POVOADO
Na localidade em que se encontra a Ponta Geográfica, chamada de Ponta do Mel, antes do século XVIII, era povoada por índios que vieram da região do Ceará.
No século XIX surgiram os caboclos vindos da mesma região.
No final do século XIX surgiram os primeiros moradores sedentários, a família do Major Antônio Capielo Maresto, tendo como esposa Dona Marica e o filho primogênito, o Major Amaro; este recebeu a patente do pai.
A família do Major era proprietária de fazendas e sítios que se estendia da Ponta do ao Freire. Seus trabalhadores eram livres mais não recebiam salários e sim uma parte da produção. Além destes havia certo número de semiescravos.
Resultado de imagem para dunas do rosado rn

O Major morava em um casarão de taipa e telha com muitos alpendres, localizado no povoado de Ponta do Mel.
Praticavam a agricultura e a pecuária. Principais produtos agrícolas: milho, feijão, arroz, cana-de-açúcar, melancia, melão e mandioca. Criava-se gado bovino, caprino, ovinos e criação de aves.
Resultado de imagem para ponta do mel rn

ORIGEM DO NOME
O nome de Ponta do Mel foi dado pelo bandeirante José Ferreira Dias que tinha a missão de reconhecer o litoral brasileiro e identificar localidades desconhecidas e dar uma nomenclatura.
A existência de grande número de abelhas Jandaíra e de Mosquitos (tipo de abelha), desde a planície costeira até o matagal que se estendia por todo o tabuleiro, e o formato geográfico de uma ponta, deu origem ao nome de Ponta do Mel.
PRINCIPAIS FAMÍLIAS
Após a fixação da família do Major Antônio, vieram para Ponta do Mel outras famílias que se destacaram. São elas, as de:
Maximiniano Dias de Matos (família Matos) – Portugueses
Família dos Felisberto. Vieram do Norte do Ceará.
Família dos Pedro dos Santos vieram de Natal.
Estas famílias eram simples e viviam da pesca e da prestação de serviços nas terras do Major Amaro.
FESTAS POPULARES:
A população era em sua maioria ou totalmente católica e festejavam as comemorações destinadas aos santos e as festas religiosas.
Dançava-se Coco de Roda, o Boi dos Reis, o carnaval; nesta festa usava-se máscara de papangu e a bicharada.
Comemorava-se ainda o São João, Semana Santa, Natal e a Festa de São Sebastião, o padroeiro.
Os principais instrumentos musicais era a reboca, a viola e a sanfona.
O PADROEIRO SÃO SEBASTIÃO:
Os moradores, especialmente os pescadores encontravam imagens de santos na beira do mar, santos de metais, cerâmicas e de madeira.
A primeira imagem de São Sebastião foi encontrada na praia, distante do mar. Elevaram uma pequena capela no lugar, porém com o tempo o mar derrubou e o santo ficou sem capela. Salientava-se que Ponta do Mel foi destruída pelo mar, que aproximou da encosta do tabuleiro.
A reconstrução do povoado se deu na encosta do tabuleiro, com ela foi elevado à segunda capela. A construção desta pequena igreja foi de autoria de Tristão, filho de Joca de Melo (da cidade de Assú – RN). Este fez uma promessa para curar de uma grave doença com São Sebastião e assim construiria uma igreja no povoado. Atendido ao pedido, ele cumpriu com a promessa.
A capela foi reformada na década de 80 pelo Padre Salesiano José Venturelli.
A festa de São Sebastião, 20 de janeiro, é comemorada por todos os moradores e por visitantes de diversas regiões.
DADOS IMPORTANTES
Primeiro faroleiro: Manoel Filgueira de Santana – Morador do povoado, escolhido pela Marinha para a função, por ser o único portador de carteira marítima.
Construção do Farol – 30 de abril de 1889.
Primeira parteira: Luiza Lunas (moradora do lugar).
1915 – Vinda da família dos Severino Marcelo do sertão para o lugar, em consequência da grande seca.
Vegetação da serra: tabuleiro, imburana, jurema preta, catanduba, catingueira, mameleiro, outras matas da caatinga.
As jangadas eram construídas com madeira que vinham em embarcações do sul do país. Os vendedores eram os balseiros, eles construíam os barcos.

O FAROL
Foi inaugurado em 30 de abril 1889, tendo sido chefe da construção o Senhor Capitão Tenente Frederico K. da Costa Rubem.
Resultado de imagem para ponta do mel rn

Sua construção é de ferro, com 14 metros de altura, altitude de foco de 106 metros; pintado de preto e branco.
Em 1953 foram construídas quatro casas no local atual, pelo construtor Sr. Bernardo Justino.
Em 12 de dezembro de 1986 este farol foi eletrificado pela equipe do Centro de Sinalização Náutica e reparos pelo Almirante Moraes Rêgo (RJ). A corrente elétrica é comercial (COSERN).
O seu sistema de emergência é o gás butano.
 Guarnição atual do farol:
Primeiro Sargento (Faroleiro) Otoniel Ferreira da Silva.
Segundo Sargento (Telegrafista) Ailton Ferro da Silva.


TEXTO FONTE - WIKIPEDIA 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores