TRILHA NO MUSEU EM CEARÁ-MIRIM

TRILHA NO MUSEU EM CEARÁ-MIRIM

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

BARÃO DE MIPIBÚ: Um Imperador, um Barão e uma Casa de Instrução.


Por Clodoaldo Barbosa

Nesta semana o povo de Mipibu está de parabéns. A escola mais antiga da cidade completa 130 anos de existência. Parabéns a todos os que fizeram e fazem a Escola Estadual Barão de Mipibu. Parabéns ao povo mipibuense por essa preciosidade.



Pensando em escrever algo sobre o assunto, aproveitei a oportunidade para reler a publicação “Orgulho Mipibuense” de autoria da professora Lúcia Amaral, também ex-diretora dessa escola.



Sempre fui curioso a respeito da história do povo mipibuense e desde cedo busquei ler tudo o que pude encontrar sobre o assunto. Nossa cidade tem muita história, pois ela é quase tão antiga quanto o próprio Brasil.



Vale dizer que os principais fatos históricos, como a luta pela independência do Brasil, a intentona comunista de 1935 e diversos outros eventos históricos repercutiram diretamente em nossa cidade, pois ela era uma das maiores, chegando mesmo em determinada época, a ser cogitada para sediar a capital da província. Naquele período Natal tinha menos expressão econômica do que Mipibu.



A Escola Barão de Mipibu, inicialmente denominada Casa de Instrução, teve o prédio construído ainda no período do Brasil Império. Isso mesmo, em 1879, quando foi iniciada a sua construção, o Brasil já era independente de Portugal há 57 anos e vivia os últimos anos de monarquia, mais precisamente de Império.



O único imperador genuinamente brasileiro, D. Pedro II, já governava o Brasil (teoricamente) desde 1831 (com 6 anos de vida), quando D. Pedro I, seu pai, voltou para Portugal e o deixou sob a responsabilidade da aristocracia do país que, naquele momento, nascia. Seu governo teve início efetivamente, com a antecipação da maioridade, em 1940. 



Em 1879, o Imperador D. Pedro II estava com 54 anos e já governava o país há 40. Naquele período, o movimento republicano brasileiro começava a se fortalecer e o Imperador Dom Pedro II começava a ficar cansado. Seu papel foi muito importante para a consolidação do Brasil como país. 

A Casa de Instrução de São José de Mipibu nasceu da iniciativa do seu Império, com a obrigatoriedade do ensino primário no país. O governo teria que construir prédios e, alegando não ter recursos para tanto, resolveu incentivar construções do tipo por todo o país, concedendo títulos de nobreza àqueles que o fizessem. Foi assim que surgiu o primeiro e único nobre mipibuense, o Barão de Mipibu.



O verdadeiro nome do Barão era Miguel Ribeiro Dantas, o segundo. O progenitor da família Dantas, de Mipibu, foi Miguel Ribeiro Dantas, o primeiro, avô do Barão de Mipibu. Não tive acesso a maiores informações sobre suas origens, mas os registros indicam que chegou na aldeia de Mipibu em 1740. Veja que apenas em 1762, a aldeia seria elevada a categoria de vila, pelo reino de Portugal.



O primeiro Dantas de Mipibu, chegou na região quando o Brasil ainda era colônia, e a cidade ainda era aldeia. Uma das mais promissoras, sob a ótica dos colonizadores. Aquele que viria a ser o Barão de Mipibu, é neto daquele Ribeiro Dantas, português, aventureiro e pioneiro na região. Recebeu da Corte Portuguesa a incumbência de colonizar essas terras, e ajudar a afastar o perigo de invasão por outros países, como França, Espanha e Holanda. Para isso, recebeu, da Corte Portuguesa, datas de terras (autorização para explorar a terra e, assim, ajudar a colonizar a região).



Miguel Ribeiro Dantas, o neto, herdou terras e conquistou mais. Viveu e dominou no período do auge dos engenhos produtores de açúcar. O açúcar naquela época era algo parecido com a soja nos dias atuais, o lucro era alto, sobretudo porque a produção era exportada e o custo era quase zero, tendo em vista que a força de trabalho era escrava.



Miguel Ribeiro Dantas, o neto, tinha vários engenhos e fazendas na região. Tornou-se um dos homens mais ricos da província, chegando mesmo a emprestar dinheiro ao governo. Com tanta riqueza, não foi difícil para o senhor de engenhos, Miguel Ribeiro Dantas, o neto, construir o pomposo prédio onde viria funcionar a primeira Casa de Instrução da cidade de São José de Mipibu – deixou de ser vila em 16 de outubro de 1848.



Nascido em 1799, tinha aproximadamente 80 anos de vida quando recebeu de Dom Pedro II o título de Barão de Mipibu. Na mesma época e pelo mesmo motivo – a construção de Casas de Instrução – diversos senhores espalhados pelo Brasil, receberam títulos de nobreza.



A história de vida do Barão é, no mínimo, muito curiosa. Câmara Cascudo deixou alguns textos publicados sobre ele. O Barão, faleceu em 1881, não viveria para ver o Imperador Dom Pedro II entregar o governo aos republicanos e encerrar a monarquia brasileira, em 1889. Dez anos após a morte do Barão e dois anos após a ascensão dos republicanos, D. Pedro II faleceu em Paris, em 1891. Há indicações, ainda não comprovadas, de que o Imperador D. Pedro II, em suas visitas pelo interior do Brasil, esteve em Mipibu.







Principais livros consultados:
História do Muncípio de São José de Mipibu, de Gilberto Guerreiro Barbalho.
Orgulho Mipibuense, de Lúcia Amaral.
Coletânea de artigos publicados na coluna Acta Diurna, no jornal A República, de Natal. De Câmara Cascudo.
História da Família Ribeiro Dantas, de São José de Mipibu, de Carlos Alberto Dantas Moura.

Fotos: Primeira, de cima para baixo: Imperador Dom Pedro II. Segunda, Barão de Mipibu. Terceira: Casa de Instrução doada pelo Barão de Mipibu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores