quinta-feira, 31 de julho de 2014

Brasil se torna pela 1ª vez líder em cirurgias plásticas


Apesar da fragilidade do procedimento, os brasileiros tem buscado muito os procedimentos estéticos.
Apesar da fragilidade do procedimento, os brasileiros tem buscado muito as cirurgias estéticas.
Pela primeira vez, o Brasil superou os Estados Unidos e se tornou líder mundial na realização de procedimentos cirúrgicos estéticos, de acordo com relatório divulgado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética.

Os dados, referentes a 2013, apontaram que o país foi responsável por 1,49 milhão de cirurgias no ano passado, 12,9% do total mundial, que foi de 11,5 milhões. Os EUA, que vinham na liderança, realizaram 12,5%. México ficou em terceiro lugar, com 4,2% do total mundial, seguido de Alemanha, com 3%, e Colômbia, com 2,5% das cirurgias.
Dos 19 tipos de operações analisados, o Brasil liderou dez, como o rejuvenescimento vaginal (13.683 casos), a cirurgia plástica abdominal (129.601) e o transplante de cabelo (8.319). O país ficou na primeira posição na realização de lipoaspiração (227.896), que retira gordura de regiões específicas do corpo, aumento das mamas (226.090) – técnica mais procurada no Brasil – e a correção de seios caídos (139.835).
Na categoria de procedimentos estéticos não-cirúrgicos, como a aplicação de toxina botulínica, composto aplicado para ajudar a suavizar marcas e linhas de expressão no rosto, os Estados Unidos lideram o ranking com 21,4% dos 11.874.937 casos de 2013. O Brasil fica em segundo lugar, com 5,5% do total.
Na soma de procedimentos cirúrgicos e não-cirúrgicos, os EUA lideram o ranking global, com o Brasil na vice-liderança. Ainda segundo o documento, as mulheres foram as que mais procuraram especialistas no ano passado e passaram por algum processo estético (87,2%).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores