AGRICULTURA: Organização Mundial de Saúde Animal declara RN livre da aftosa


Reconhecimento foi feito em Assembleia Mundial de Delegados, em Paris.
Além do RN, doença foi considerada erradicada em outros sete estados.


Campanha segue até dia 31 de maio (Foto: Arquivo/TV Tapajós)Mudança de status do RN veio após cinco anos
(Foto: Arquivo/TV Tapajós)
A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconheceu nesta quinta-feira (29) o Rio Grande do Norte como área livre da febre aftosa com vacinação. O reconhecimento ocorreu durante a 82ª Seção Geral da Assembleia Mundial de Delegados, realizada em Paris. Além do RN, a doença foi considerada erradicada em Alagoas, Maranhão, Paraíba, Ceará, Piauí, Pernambuco e no Norte do Pará.

A mudança de status veio após cinco anos e começou ainda em maio de 2013, quando o estado concluiu o inquérito soroepidemiológico e foi reclassificado nacionalmente como zona livre da aftosa com vacinação. Com o anúncio desta manhã, o RN cumpre a expectativa do orgão internacional de ser reconhecido fora do Brasil como livre da doença.

Com o reconhecimento obtido pelos oito estados nesta quinta junto à OIE, sobe para 210 milhões o total de animais que estão em zonas livres de febre aftosa, ou seja, aproximadamente 99% do rebanho nacional de bovinos e bubalinos em 78% do território brasileiro. O governo investiu R$ 80 milhões em ações de sanidade animal, nos últimos quatro anos nessas regiões.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e da Pesca, Tarcísio Bezerra Dantas, o reconhecimento da OIE coloca o RN, assim como os outros estados, em um novo nível. “Nós encaramos isso como uma grande vitória da agropecuária estadual e um coroamento de um trabalho. Entramos em outro patamar da agropecuária. A Festa do Boi de 2014, que no ano passado ocorreu com o estado com área livre de aftosa com vacinação, será um grande sucesso, já que os animais do Brasil poderão circular livremente para qualquer tipo de atividade”, observou.

O Brasil possui agora 23 estados e o Distrito Federal reconhecidos internacionalmente como livres de febre aftosa com vacinação e Santa Catarina continua sendo o único livre da doença sem vacinação. O próximo passo é alcançar a meta de um país totalmente livre da aftosa. Para isso o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) realiza um trabalho conjunto com os governos estaduais e a iniciativa privada para que Amapá, Roraima e Amazonas também sejam reconhecidos.

Do G1 RN

Comentários